VAR é testado no Mané Garrincha para Brasileirão e jogo da Seleção; veja vídeo

Em campo, no Estádio Nacional Mané Garrincha, os times sub 19 de Brazlândia e do Capital. Mas a estrela principal estava do lado de fora.  Uma central abastecida por câmeras para tirar dúvidas dos principais lances de uma partida. O amistoso, nesta sexta-feira (24), serviu para fazer a homologação do Estádio para a utilização do VAR (árbitro de vídeo que está presente em todos os jogos da Série A do Campeonato Brasileiro). O jogo terminou em 0 a 0 e teve apenas uma revisão no monitor à beira do campo. Neste sábado, Botafogo e Palmeiras disputam jogo válido pela sexta rodada da competição e tudo deve estar prontinho para essa central de câmeras que pode mudar o resultado de uma partida. O VAR será usado também no dia 5 de junho no amistoso do Brasil contra o Catar.

Assista a vídeo

 

 

A partida do amistoso foi realizada em tempo mais curto (dois tempos de 20 minutos). No dia 5 de junho o estádio mais caro dos construídos para a Copa de 2014 receberá um amistoso entre Brasil e Qatar, no qual a nova tecnologia também será utilizada. Em amistosos da Seleção Brasileira, o fato será inédito.

Já voltou atrás

Para o teste, a CBF (dona do equipamento) contou com quatro câmeras instaladas ao longo da lateral do campo que foram úteis para revisar o primeiro lance: uma marcação de pênalti aos 13 minutos do primeiro tempo. O ato faltoso levou 2 minutos para ser revisado pelo árbitro de campo e fez com que ele voltasse atrás em sua decisão. Bola para a defesa e cartão amarelo retirado para o zagueiro envolvido no lance. Essa foi a única situação em que a conhecida cabine transparente do VAR foi visitada pelo árbitro Rafael Diniz, já que nos outros casos, a equipe posicionada na sala de arbitragem de vídeo, frente aos monitores com as imagens, revisou e apontou a decisão correta. Entre eles, o caso da expulsão do zagueiro do Capital, após ter cometido uma falta mais forte na entrada da área de defesa de sua equipe.

Para execução de protocolo, a equipe responsável pela ferramenta esclarece que o VAR é utilizado em apenas quatro casos, e necessariamente nesta ordem de verificação: impedimento, bola fora do perímetro do campo, gol ou não gol e punição com cartões. Ricardo Almeida, secretário da Comissão de arbitragem da CBF aponta também que a decisão final de revisar no monitor à beira do campo é sempre do árbitro principal. “Neste caso, o VAR tem uma imagem inconclusiva pela frente e comunica isso ao árbitro de campo. Ele decide se checa ou não”.

Texto, fotos e vídeo de Ricardo Ribeiro

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Ricardo Ribeiro

Ricardo Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *