NBB: São Paulo quebra invencibilidade do Flamengo em Brasília

Em um jogo bastante equilibrado, na sexta (25), o São Paulo surpreendeu e conquistou a terceira vitória no NBB e acabou com a série de vitórias consecutivas da equipe do Flamengo. O jogo, realizado no ginásio da Asceb, em Brasília, terminou 102 a 95 para a equipe paulista. O armador Georginho de Paula anotou o segundo triplo-duplo na temporada, terminando a partida com 24 pontos, 11 assistências e 10 rebotes. O tricolor paulista faz a primeira temporada no NBB

Chuva de três pontos

O São Paulo aproveitou que o Flamengo fazia marcação individual para fazer arremessos de três pontos, o que levou o time paulista a totalizar quinze pontos logo no começo da partida. O Flamengo explorou as jogadas dentro do garrafão para pontuar e não deixar o adversário abrir maior vantagem. Por conta do bom aproveitamento do perímetro que o time do São Paulo tinha, a equipe rubro-negra começou a pressionar o armador Georginho de Paula. O primeiro quarto terminou com a vantagem de sete pontos para o  São Paulo.

Defesa sólida

A defesa do Flamengo não agradou o técnico Gustavo de Conti e isso fez com que ele gastasse um pedido de tempo para organizar a equipe. A partir desse momento, a equipe rubro-negra aproveitou os erros cometidos pelo São Paulo para fazer contra-ataques rápidos. Apesar das bolas de três pontos do Flamengo não estarem caindo, o time conseguiu se aproveitar dos rebotes e pontuar dentro do garrafão. Mesmo com a defesa sólida, mais uma vez o Flamengo não conseguiu conter os arremessos de três pontos do São Paulo. Dessa forma, o time carioca mudou para marcação pressão com dobra nas laterais, o que deu resultado já que o Flamengo foi para o intervalo com cinco pontos de vantagem. O time carioca passou a movimentar a bola com maior rapidez para encontrar espaços livres para o chute.

Jogo acirrado

Já que o time do Flamengo não estava com um bom aproveitamento dos arremessos de três pontos,o São Paulo optou por fechar o garrafão e deixar o Flamengo arremessar livre da linha de três pontos, o que ocasionou  rebotes que facilitaram para a equipe sair rápido em transição e pontuar. Apesar do equilíbrio, depois de duas bolas de três consecutivas do armador Franco Balbi, o Flamengo abriu seis pontos de vantagem no final do quarto.

Bolas de 3 decisivas

O Flamengo iniciou o quarto período variando a marcação entre zona 2-3 e zona 3-2, forçando os jogadores do São Paulo a arremessar as bolas de 3 pontos muito rápido e desequilibrados. A equipe paulista aproveitou-se dessa marcação para  forçar o time rubro-negro a cometer faltas, e funcionou, já que a equipe carioca excedeu o limite de faltas ainda na metade do período. A três minutos do fim da partida, o Flamengo liderava por 88 a 87, mas o São Paulo converteu duas bolas de 3 em sequência e assumiu a liderança.

O Flamengo ainda converteu dois lances livres deixando o jogo 93 a 90. Com o placar 95 a 92 para o São Paulo, o time do Flamengo pressionou a equipe do São Paulo, mas o armador Georginho assumiu a responsabilidade e com 36 segundos para o fim da partida ele fez o arremesso para 3 pontos e converteu. O Flamengo não se deu por vencido e o ala Marquinhos acertou o arremesso e deixou o Flamengo a três pontos de diferença do São Paulo, mas a equipe rubro-negra foi obrigada a fazer a falta para parar o relógio e o Georginho converteu os dois lances livres e depois no ataque o Flamengo não conseguiu pontuar e fez outra falta no armador adversário a fim de parar o relógio, após os dois lances livres a diferença era de sete pontos e não havia mais tempo no relógio.

Pós-jogo

O armador Georginho comentou, ao final da partida, que a vitória foi fundamental para o ânimo da equipe. “Estou muito feliz por ter terminado assim essa semana. A gente começou com uma derrota contra o Mogi e hoje a gente deu volta por cima contra atual campeão”. Sobre a bola decisiva no final do jogo, disse que era necessário chamar a responsabilidade nesses momentos do jogo. “Contra o Mogi, eu errei uma bola muito parecida com essa, mas eu nunca vou abaixar a cabeça. Sempre vou manter a confiança porque faz parte do jogo errar. Hoje, eu tive a felicidade de acertar e espero que o time continue confiando em mim para chutar esse tipo de bola”. Ouça a entrevista:

Entrevista com Georginho

Enquanto isso, o técnico Gustavo de Conti disse que a diferença foi a sequência de arremessos de três pontos do São Paulo. “O problema foi realmente nossa a questão defensiva. Eles já são bons marcados. Com espaço ele ficam melhores ainda”. Ouça:

Entrevista com Gustavo de Conti

Gabriel Campos, João Victor e Maria Eduarda Sampaio 

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

 

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção