NBB: Brasília vence Minas Tênis Clube, mas fica na lanterna

No último confronto em casa do ano, Universo/Caixa/Brasília venceu o Minas Tênis Clube por 88 a 77. Com a defesa consistente e a equipe explorando o jogo coletivo, a equipe brasiliense faturou a terceira vitória no NBB 11, nesta noite de segunda-feira (10), no Ginásio da ASCEB. O cestinha da partida foi o norte-americano Dominique Coleman com 27 pontos. Do lado candango, o destaque foi Windi Graterol com 25 pontos e 9 rebotes.  Além disso, a partida ficou marcada pelo retorno do ala Arthur e Nezinho com 17 assistências. Apesar da vitória, o time candango permanece na lanterna da competição.

No primeiro quarto, o Minas Tênis Clube abriu quatro pontos nos minutos iniciais. O time da casa só foi sair do zero com a cesta de três pontos de Rafa Moreira. Universo Brasília mostrou uma reação.  O time da casa foi consistente e terminou o período com a parciais de 20 a 12. Pelo lado dos visitantes, as cestas não entravam mais. Em 40 tentativas, apenas 12 cestas foram convertidas, sendo que de seis chutes para três, nenhum foi pontuado. O destaque do quarto foi  Rafa Moreira com 2 cestas de três, totalizando seis pontos.

No segundo quarto, o time da casa viu a equipe mineira encostar no placar. Com três minutos do período, os visitantes diminuíram a vantagem brasiliense e encostaram no placar com 23 a 24.  Com Windi Graterol inspirado, o Brasília venceu o quarto por 22 a 20 e foi para o intervalo com 42 a 32 no placar. O ala/pivô foi o destaque do período anotando 11 pontos.

Na volta para o segundo tempo da partida, o Minas Tênis Clube virou o placar. Nos primeiro segundo, Paranhos marcou dois pontos e Jefferson converteu uma cesta de três. A equipe mineira marcando mais não deixou o Universo Brasília pontuar. O time da casa viu a vantagem diminuir de 10 pontos para um. André  Germano pediu tempo no retorno.  O ala Arthur, que retornou após uma artroscopia no joelho, anotou oito pontos foi determinante para o Brasília manter a vantagem no placar.

Em estilo NBA, Wesley tentou enterrar uma bola de costas, mas foi atrapalhado pelo aro da cesta. A torcida vibrou com a jogada, mas jogador recebeu protestos da arquibancada.

Apesar do Minas ganhar a parcial do período por 20 a 15, o Brasília ainda manteve a vantagem de 57 a 52 no placar.

 

No último quarto,Nezinho e Pedro Rava abriram o placar para o time da casa com uma cesta de três pontos para cada um. O time da casa atacava com mais tranquilidade e trabalhava mais a bola antes de arremessar para a cesta. A equipe candanga chegou a ter 22 pontos de vantagem no placar no último período. Nos 30 segundos finais, a torcida já festejava a terceira vitória do Universo/Caixa/Brasília na 11ª terceira temporada do NBB e o resultado foi de 88 a 77.

Logo ao final da partida, houve um desentendimento entre Gegê e o Rafa Moreira. O armador minastenista explicou que houve certos movimentos, por parte do ala candango, que não são normais do contato do jogo. “O jogo já estava ganho para eles, não tinha a necessidade de certos movimentos. É um jogo de contato, sim, desde que seja leal. Se ele acha que está certo fazendo isso, tranquilo, vou continuar jogando o meu basquete dentro de quadra”.

Além disso, Gegê fez uma avaliação sobre a quinta derrota do Minas Tênis Clube na 11ª edição do NBB. “A gente não fez um bom jogo. Nós tomamos 88 pontos, é uma marca muito grande. Se a gente quer ganhar o jogo, a gente não pode levar tanto ponto assim. Mas eles souberam explorar os nosso erros e estão de parabéns pela vitória”.

De acordo com o ala candango Arthur, o time teve uma postura agressiva na defesa desde o primeiro quarto e, por isso, teve um boa vantagem para até jogar mais sossegado no último quarto.

O atleta, que retornou às quadras após uma cirurgia no menisco, em novembro, a princípio tinha restrição de minutos, mas acabou jogando 20 minutos. “Hoje, eu achei que jogaria menos tempo, mas as coisas começaram a fluir e eu joguei até mais do que eu imaginava. Tô me sentindo muito bem, meu joelho também está bem e agora é apertar o passo para voltar melhor para o próximo jogo”.

Além disso, ele foi o segundo maior pontuador pelo lado do time da capital com 17 pontos. Sobre a sua preparação para a volta, o jogador disse que o foco das atividades sempre foi o joelho. “Treinei uma semana e meia sozinho, sem contato. Era para treinar os últimos três dias com a equipe, mas tive uma lombalgia, porque eu estava forçando muito a perna boa. Acabei que nem treinei”.

O próximo jogo na 11ª temporada do NBB é contra o São José, nesta quinta feira (13), no ginásio Lineu de Moura, em São José dos Campos. Segundo o ala brasiliense, o jogo será  uma “pedreira”, um confronto direto. “Precisamos ter a mesma postura que tivemos hoje, um ataque consistente, coletivo e precisamos de todo mundo pontuando”, ressaltou.

Próximo jogo do Minas Tênis Clube será contra o Basquete Cearense, nesta quarta-feira (12), no Centro de Formação Olímpica, em Fortaleza.

Por Mariana Fraga

Fotos: Felipe Mendez – Divulgação

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção