NBB: Brasília vence Corinthians em 1º jogo decisivo por 87 a 78

Os playoffs do NBB, que vão garantir a vaga nas quartas de final, começaram neste sábado (30) com o confronto entre o Universo Brasília (DF) e o Corinthians (SP). O jogo disputado no Ginásio da ASCEB deu início a fase mais esperada do ano. O placar final marcou a vitória do Universo Brasília por 87×78

Pré-jogo

O Universo Brasília encerrou a fase regular do campeonato em 10° lugar com a campanha de 10 vitórias e 16 derrotas, o time candango agora vem à quadra em busca de vencer o primeiro jogo das Oitavas de final do Playoffs do NBB contra o time do Corinthians. Já o clube paulista terminou em 7° lugar com 12 vitórias e 14 derrotas. Embora a campanha das equipes tenha terminado abaixo do esperado, ambas possuem jogadores que se destacam em diversos quesitos da liga. Pelo lado brasiliense, o ala-armador Zach Graham é o líder nas estatísticas de média de pontos por jogo (19.1) da equipe e 3° nos líderes de pontos por jogo do campeonato. Já para os paulistanos, o armador Kyle “Zoom” Fuller se sobressai nos pontos (21.3).  

Duelo de Defesas

As duas equipes optaram por começar marcando defesa zona, o time paulista usou a zona (2-3), enquanto o time da capital fez um misto de defesa zona com defesa individual onde o ala Arthur defendia individualmente o armador Fuller enquanto o resto do time fazia defesa zona (2-2), por conta das duas defesas estarem marcando duro, os dois times fizeram muitas faltas, o Brasília no ataque explorou jogadas no garrafão com o pivô Graterol e pelo o lado do Corinthians o ala-pivô Guilherme Giovannoni foi o principal pontuador.

Defesa do Brasília prevalece

O time do Universo Brasília no segundo quarto marcou pressão quadra inteira desde do início do período, e o que forçou o time do Corinthians a errar durante todo o quarto e por conta disso o armador Fuller contribui com apenas 5 pontos e o Brasília terminou o período com a vantagem de 10 pontos.

Nezinho abriu caminho para a vitória do Brasília

Reviravolta do Corinthians

Após o intervalo o time do Corinthians voltou pressionando o time candango, o que fez com que a vantagem de 10 pontos diminuísse para apenas 3 pontos, graças ao destaque ofensivo do ala-pivô Giovannoni que contribui para a equipe com 10 pontos e do armador Fuller que fez 6 pontos.

Giovannoni foi o destaque da equipe paulista

Final de partida sufocante

O Corinthians continuou a pressionar na defesa no quarto período, onde chegou a cortar a diferença para apenas 1 ponto, porém o time do Brasília começou a forçar faltas em cima dos jogadores do Corinthians e com isso o Brasília aumentou a vantagem no placar, o que fez com que os jogadores da equipe adversária realizassem arremessos precipitados, ocasionando em contra-ataques em que o pivô Graterol era acionado para fazer a cesta fácil.

Pós-jogo

Os destaque de cada time foram o ala-pivô Guilherme Giovannoni (22 pontos e 6 rebotes) para o time do Corinthians e o pivô Graterol (16 pontos e 18 rebotes) para a equipe do Universo Brasília.

Ao final do jogo, o armador Nezinho destacou: “Playoffs são isso mesmo, são jogos decisivos, jogos nervosos; a equipe sabe como perder pode estar pra fora do campeonato e a gente sabe que os jogos vão se decididos nos finais”.

Ouça entrevista

Apesar da derrota o ala-pivô do Corinthians Guilherme Giovannoni foi o cestinha da partida e quando perguntado sobre a motivação dele para a partida contra o Universo Brasília, ele disse: “É uma série de motivações, a motivação que eu tenho por tá defendo o Corinthians, por ter voltado para Brasília e principalmente por ser Playoffs”

Ouça entrevista

O Universo Brasília volta às quadras no próximo sábado (06), quando enfrentará o Corinthians (SP) no Ginásio Wlamir Marques pelo segundo jogo da série de melhor de 3 dos Playoffs do NBB.

Por: Gabriel Campos e João Victor da Silva

Fotos: Igor Vasconcelos

Sob supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *