Meningite: saiba mais sobre a doença

A morte do neto do ex-presidente Lula, o menino Arthur, de 7 anos de idade, no dia 1º de março, deu ainda mais visibilidade para a meningite, uma doença grave que pode provocar a morte ou sequelas de diferentes características. De acordo com o professor de ciências biológicas Daniel Amaro Sousa, que é doutor em patologia molecular, as meningites virais acontecem em sua maioria entre outubro e março. Não há ainda o laudo de qual tipo de meningite matou o neto do ex-presidente. “A doença acomete todas as idades, porém os principais grupos de risco são os menores de 1 ano de idade e de 5 anos de idade, respectivamente, e somados, representam 30% dos casos”. Confira entrevista com o especialista

-O que é meningite?

O cérebro e a medula espinhal são protegidos por várias membranas. Estas membranas, quando inflamadas, caracterizam a meningite, que pode ser causada na maior parte dos casos por agentes infecciosos, como bactérias ou vírus. Eventualmente podem ser causadas também por medicamentos ou tumores.

-Como a doença ocorre no Brasil?

No Brasil, são observados casos durante todo o ano, alguns deles na forma de surtos- quantidades acima do normal para o número esperado de casos. Considerando os principais agentes infecciosos, as meningites virais acontecem em sua maioria entre outubro e março, enquanto que no resto do ano as bacterianas são prevalentes.

-Qual faixa etária a doença atinge?

A doença acomete todas as idades, porém os principais grupos de risco são os menores de 1 ano de idade e de 5 anos de idade, respectivamente, e somados, representam 30% dos casos.

-Qual é a particularidade da meningite meningocócica?

É causada por a bactéria, Neisseria meningitidis. Ela pode evoluir para a forma mais grave de meningite, de forma que apresenta sintomas muito preocupantes e que aparecem de forma muito rápida.

-Como é conviver com a doença, tanto para o doente como para a família dele?

A convivência com a doença, para o afetado, é muito variada, pois a doença pode se manifestar desde apenas uma febre transitória em alguns casos, até coma e morte em poucas horas após o início dos sintomas, para outros casos mais graves. Tendo em vista que é uma doença transmissível, especialmente pelo contato prolongado, é necessário que os familiares fiquem atentos a quaisquer sinais de desenvolvimento da doença. Quando necessário os familiares recebem administração profilática de antibiótico, especialmente em casos de surtos.

-Como é feito o tratamento?

Antibióticos devem ser administrados o mais rapidamente, e em conjunto deve-se realizar o tratamento de suporte, que busca repor líquidos e quaisquer outra assistência imediata que o paciente apresente.

-Como é o combate à doença no Brasil?

O Brasil adota programas regionais de monitoramento e identificação das linhagens de bactérias que estejam associadas à surtos, além de produzir e disseminar informações epidemiológicas, visando instruir programas de controle da doença.

Por Guilherme Fonseca

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

 

 

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção