Insegurança e falta de manutenção preocupam visitantes de parques

A violência nos locais de lazer tem preocupado bastante os moradores de Brasília. Entre os receios principais, está a falta de iluminação e também de policiamento, ambos principalmente no período da noite. Uma pessoa em situação de rua de 52 anos foi morta, por exemplo, na madrugada de terça-feira (12/2) deste ano no Parque da Cidade. Em setembro do ano passado (2018) um jovem sofreu uma tentativa de um assalto à luz do dia no TaguaParque.

Fernanda Maia, 35, moradora do Park Way, frequenta o local aos finais de semana e se preocupa em deixar o carro a noite no estacionamento por ter pouco policiamento mesmo a iluminação sendo boa. “A parte que mais considero perigosa é o estacionamento”. Ela também relata que: “os banheiros e bebedouros são péssimos, a maioria são fechados”.

De acordo com a PMDF há uma Posto Comunitário de Segurança no Parque da Cidade que funciona durante 24 horas, além de viaturas exclusivas e de equipes do 1º Batalhão que prestam apoio.

O TaguaParque recebe ronda de viaturas e do Regimento Montado. No Parque Olhos D’Água o policiamento é feito por meio de um Batalhão Ambiental e do 3º BPM. É realizada ronda nos interiores e aos arredores.

Há um grande fluxo de viaturas nos parques entrando e saindo patrulhando a área e policiamento de motociclistas nos Parques de Águas Claras e da Asa Sul.

Policiamento

“Ressaltamos que a distribuição do policiamento é feita baseada nas manchas criminais, as quais são elaboradas por meio do registro de ocorrência”, disse a PMDF. A polícia explicou que tem feito sua parte, mas os policiais militares não conseguem resolver o problema da criminalidade sozinhos. “A política de soltura de presos e leis benéficas têm sido grandes desafios enfrentados pela polícia do DF”, explica.

“Às vezes que vim de carro me senti inseguro, porque têm estacionamentos que são mais desertos e as vezes tem disputa de flanelinhas e moradores de rua então não me sinto confortável”, disse Josivanio Alencar, 35, que prefere sair de casa de bicicleta.

Josivanio disse que o foco de policiais nos finais de semana é exagerado e na semana é raro ter. “Não sei porque tantos policiais no fim de semana e na semana não ter nenhum e nem mesmo da cavalaria, no sábado e domingo parece que vai acabar o mundo e mandam todos os policiais de Brasília pra cá”.

A assessoria da polícia lembrou também que a ausência de infraestrutura como falta de iluminação, entre outros fatores, contribui para o aumento da sensação de insegurança.

De acordo com a Companhia de Energética de Brasília (CEB), as equipes Iluminação Pública (IP) realizam manutenções de acordo com uma programação por região de atuação, e também sob demanda, a partir das reclamações dos nossos clientes.

Ainda segundo a CEB, no Parque da Cidade de Brasília, todas as áreas de circulação e lazer do parque são iluminadas: vias, estacionamentos, pistas de cooper/ciclismo, churrasqueiras, brinquedos e equipamentos, etc. Semanalmente é realizada inspeção no funcionamento da IP, com atuação imediata das equipes de manutenção.

Por Marília Silva

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *