Palcos do DF: como o Teatro dos Bancários se tornou espaço da irreverência

Um dos principais palcos culturais da cidade e, por muito tempo a base da Cia “Os melhores do Mundo”, o Teatro dos Bancários, com capacidade de 474 lugares, já foi premiado internacionalmente por sua arquitetura e ainda hoje encanta os brasilenses. Além de ser um local de atividades e mobilizações dos trabalhadores sindicalizados, o espaço também recebe diversas peças que animam o público da capital federal e oferece cursos de teatro para a comunidade.

Saiba mais sobre Palcos do DF

Administrado pela Diretoria de Cultura do Sindicato dos Bancários de Brasília, o espaço, também recorrentemente tem seus eventos divulgados nas principais agendas culturais da mídia local, com o auxílio da Secretaria de Imprensa da entidade. Poucos sindicatos contam com essa estrutura.

 

 

De volta aos Bancários

Com mais de 30 peças teatrais e 4 filmes, a Cia. de Comédia Os Melhores do Mundo nasceu em 1995. O coletivo reúne os fundadores Adriana Nunes, Ricardo Pipo e Welder Rodrigues, a Adriano Siri, Jovane Nunes e Victor Leal. Para eles, o Teatro dos Bancários tem um significado único na trajetória da Companhia.

 

Victor Leal, responsável por assinar roteiros de programas de humor na TV e na internet como Sai de Baixo, Chapa Quente e Porta dos Fundos, retratou à nossa reportagem, depois da apresentação que satirizou também a situação política do país, a importância de trazer temas ousados em Brasília. “Acho que a comédia e o humor são uma maneira muito legal de passar uma mensagem. A gente que mora em Brasília tem obrigação de falar certas coisas, e a pessoa no humor está aberta para receber informação” comentou.

 

 

Com temas irreverentes sobre relacionamento a dois, sexualidade e sensualidade, o fim de semana foi agitado, no Teatro dos Bancários, que recebeu mais 800 pessoas no sábado e no domingo. “Com auditório lotado, profissionalismo e bom humor, na noite deste domingo (4), acompanhamos a estreia da peça teatral “Sexo” da Cia Os Melhores do Mundo”, que retornaram à sua origem e, depois de uma longa turnê pelo Brasil, foram aplaudidos de pé pelos presentes.

 

Marcelo Rocha, auxiliar de cobrança em Brasília, que esteve num teatro pela primeira vez, disse que gostou muito do espaço. “Essa é a primeira vez que eu venho e achei superbacana. Adorei essa área da comédia, achei que o pessoal é maravilhoso e gostei muito mesmo” exclamou ao fim da peça.

 

Para ele, os artistas devem ser valorizados, pois conseguem em meio à tantos problemas do cotidiano, distrair o público com seu bom humor. “Eles têm que ser valorizados mesmo, pois mediante à tanto problemas eles conseguem nos fazer esquecer dos problemas” disse.

 

Assista à entrevista com Marcelo Rocha

 

Thiago Rodrigues, que é analista de tecnologia da informação e trabalha com programação, visitou o espaço com a namorada e gostou muito. “Viemos pelo entretenimento. Achamos muito importante, aqui em Brasília, termos esse tipo de movimento de arte e cultura e os “Os melhores do Mundo” são referência hoje” disse.

 

Assista à entrevista

 

 

Com visibilidade nacional e êxito comercial, a companhia demonstra em cena, uma relação de companheirismo e se ajusta no palco para promover, com requinte, a cultura brasiliense.

 

E os planos não param por ai. No próximo dia 10 de julho, a Cia Os Melhores do Mundo estreia com um programa só deles no MultiShow, chamado “Planeta B” e ainda está vindo o primeiro longa-metragem da equipe.

 

 

Incentivo

O Teatro dos Bancários é vinculado à Secretaria de Cultura do Sindicato dos Bancários, porém no DF, diversas ações culturais como as do sindicato são promovidas pela Secretaria de Cultura do Distrito Federal (SeCult).

 

Segundo a assessoria de comunicação da SeCult, o fomento e promoção da Cultura na cidade  tem como princípio a democratização do acesso à cultura e a descentralização da produção cultural.
Por meio de editais do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) recursos são investidos para fomentar a atividade teatral, bem como todas as demais linguagens. Especificamente para as artes cênicas, que inclui ainda dança e demais expressões que envolvem movimento e corpo, o FAC lançou apoio para dois anos para manutenção de grupos e espaços culturais.

 

Além disso, a secretaria lançou há duas semanas o edital “Brasília Cênica”, que prevê investimento de R$ 1 milhão para apoiar programação e demais atividades de dez espaços cênicos do DF.

 

Para o Secretário de Cultura do Distrito Federal, Guilherme Reis esta é uma importante forma de fortalecer a cultura em Brasília. “O Brasília Cênica faz uma colaboração substancial às políticas de apoio aos espaços independentes do Distrito Federal, com o objetivo de fortalecer a programação, a formação e a sensibilização de novos públicos, como crianças e jovens”, resume o secretário de Cultura, Guilherme Reis.

Por Jornan Rocha

 

 

 

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *