Conheça mitos e verdades da maçonaria

Considerada uma ordem, a maçonaria reúne religiosos de diferentes credos. Os mistérios dos rituais maçônicos envolvem a curiosidade das pessoas acerca do que é praticado dentro dos templos. Os irmãos, como são chamados na comunidade, participam de cerimônias ritualísticas em um ambiente que, para os seguidores, é considerado sagrado, fraternal e propício a melhoria da vida espiritual.

Por desconhecer os ritos, muitos confundem a maçonaria com uma religião. Além disso, algumas pessoas relacionam as práticas com cultos satânicos em razão de a entidade ser considerada secreta e sem a participação de mulheres. “A maçonaria foi, na realidade, organizada para os homens”, explicou o Grão-Mestre Marcos José da Silva.

Com intuito de esclarecer essas e outras questões e o que se passa em um templo maçônico, a reportagem foi conhecer o prédio do Grande Oriente do Brasil. Localizado na Asa Sul, ele é uma referência para os maçons a nível nacional. A equipe também conversou com maçons para entender um pouco da filosofia e dos ideais.

Segundo o Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Marcos José, a maçonaria não é secreta. “Uma instituição secreta é aquela que não se conhece os seus membros, nem aonde se reúnem. Nossos templos podem ser visitados, seus membros são identificados e também temos os registros oficiais nos cartórios”, explicou.

A organização do Grande Oriente do Brasil é muito semelhante a da República. Eles têm uma federação e até os poderes Executivo, Legislativo e o Judiciário, além do Ministério Público Maçom. “O objetivo é fazer com que os irmãos vivam em perfeita harmonia e não podendo conciliar, sou obrigado a trazer ao Tribunal e processar quem infringe o regulamento”, esclareceu o procurador-geral chefe do Ministério Público do Grande Oriente do Brasil, Juvenal Antunes Pereira.

Segundo o Grão-Mestre, a maçonaria busca oferecer aos integrantes a oportunidade de se aprimorar e se aperfeiçoar em todos os sentidos. “A intenção é que o membro possa se superar e ter assim o privilégio de dizer que evoluiu em termos espirituais e materiais, melhorando o comportamento e progressão. A evolução é um dos princípios da Maçonaria”, destacou Marcos José.

Foto: Igor Brandão/Agência de Notícias

Outras religiões

No ambiente maçônico existem pessoas que professam as mais diversas religiões do mundo. Há muçulmanos e judeus, por exemplo. Mas em todo início de trabalho e reunião, a bíblia, considerada livro sagrado, precisa estar presente. “É com base nele e no  o Livro das Sagradas Escrituras que iniciamos os nossos trabalhos, nos dirigindo ao Grande Arquiteto do Universo, que é Deus”, contou o Grão-Mestre.

Segundo o analista de sistemas, Luciano Pereira, 40 anos, filho de maçom,  a maçonaria é uma sociedade discreta, composta por homens livres e de bom costume. Ele não ingressou na ordem, mas destacou que se  filho de 7 anos quiser, ele terá apoio do pai. “Os maçons cultuam a liberdade, a fraternidade e a igualdade entre os homens”, destacou.

Símbolos

Foto: Igor Brandão/Agência de Notícias

Um dos símbolos mais conhecidos da maçonaria é o compasso e o esquadro. Juntos, eles formam um triângulo com a letra G ao meio que se refere ao Grande Arquiteto do Universo, reconhecido como Deus. Já o símbolo da instituição maçônica representa o Grande Oriente do Brasil em meio às tribulações no mar revolto. “Permanece como uma unidade firme, mas que mantém as tradições que se atualiza no contexto da sociedade atual”, explicou o museólogo Raniel Fernandes.

Existe, ainda, a loja maçônica em que, ao menos, sete irmãos se reúnem para realizar os trabalhos maçônicos. Nesses locais as virtudes morais são ensinadas regularmente. Os maçons ainda utilizam aventais que, sem eles, é impossível a qualquer maçom tomar parte nos trabalhos da instituição.

Na organização interna da sociedade, as mulheres de maçons são chamadas de cunhadas e os filhos sobrinhos e sobrinhas. “Para ser um maçom é necessário que tenha crença em Deus. A pessoa tem que ter sua religião. Se não tiver não pode ser maçom”, contou Marcos José. Para um homem iniciar na ordem, a mulher casada precisa autorizar a entrada dele na entidade.

No caso do militar reformado Reinaldo Barreto, 67, a mulher não concordou que ele ingressasse na ordem.  “Existe muito respeito e auxílio entre os membros. Um ajuda o outro dentro e fora”, ressaltou.

Além disso, existem três princípios básicos da maçonaria que visa a igualdade, a liberdade e fraternidade. “A liberdade quando é exercida com responsabilidade, a igualdade com respeito ao próximo e a fraternidade o amor efetivamente às pessoas”, destacou Marcos José.

Foto: Igor Brandão/Agência de Notícias

Para Saber Mais

A Maçonaria tem origem mais que secular. Ela se projetou como a primeira instituição organizada na Inglaterra em 1717, portanto há 300 anos. Mas a origem é difusa. A prática existe em diversos países e cada um deles procurou adaptar a instituição aos seus costumes. Por isso a origem não é única e tem como base uma crença em um ser superior. “É uma instituição formada por homens de bem que procuram fazer o possível para melhorar as relações humanas, familiares e estreitar os laços fraternos desse ideário maior que é fazer o bem. Ela se dedica a investigação da verdade, ao exame da moral e a prática das virtudes”, explicou o procurador-geral chefe do Ministério Público do Grande Oriente do Brasil, Juvenal Antunes Pereira.

Por Leonice Rezende 

Sob supervisão de Isa Stacciarini

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *