Kakay, advogado de Joesley, diz que prisão foi “deslealdade do Estado”

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o “Kakay”, que defende o empresário Joesley Batista, afirma que a prisão do cliente foi um rompimento com o combinado firmado pela delação apresentada na Lava Jato. “O Estado foi desleal ao não cumprir o acordo. A imunidade fatal, sem motivo, foi retirada”, critica Kakay. Ele afirma que não é contrário ao instituto da delação, apenas a como ela é aplicada no Brasil. “Esse caso que nós entramos, demonstra claramente que o instituto [delação] é usado ao bel-prazer do Estado, de forma, às vezes, até autoritária”, critica.

“É uma falta de lealdade do Estado, sem que haja um descumprimento cabal, de retirar o benefício que foi dado”, afirma Kakay.

Segundo Kakay, a defesa está pautada agora em buscar a liberdade do acusado, mas ele acredita que o acordo que foi feito com o Estado deve ser cumprido. “Em primeiro lugar, nosso objetivo é tentar colocá-los em liberdade. Mas me sinto completamente à vontade para discutir os direitos que deveriam ser garantidos nessa delação”, explica.  

 Por Bruno Santa Rita e Lucas Valença

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *