Filme austríaco Mademoiselle Paradis trata de drama de pianista cega

Sob direção de Barbara Albert e baseado no romance “Mesmerized” de Alissa Walser, o longa “Mademoiselle Paradis” após dois anos de sua estreia, finalmente chegará nos cinemas do Brasil, estreando nesta quinta-feira (9).
Confira o trailer: 

Confira também a crítica sobre o remake de “O Cemitério Maldito” e “Detetive Pikachu”.

Selecionado para a o Festival Internacional de Cinema de Toronto no ano de 2017, o longa aborda de forma sensível e comovente a história real de Maria Theresia Paradis (Maria Dragus) uma pianista cega que viveu em Viena no século XVIII. Após perder sua visão aos 3 anos de idade, seus pais passaram anos tentando encontrar uma maneira de curar a doença da filha, ao mesmo tempo que exploravam seu dom pelo piano para conseguir algum mérito e respeito na sociedade, já que estava “condenada” a não casar.

Após conhecer o médico curandeiro Franz Anton Mesmer (Devid Striesow), e seus pais a deixarem sob cuidados dele, para enfim conseguir a cura de sua doença, Maria inicia tratamentos alternativos e de forma milagrosa, começa a recuperar sua visão. Mas a partir que isso começa a acontecer, o seu dom em tocar piano diminui e isso causa em Maria grandes conflitos, primeiramente por conta de seus pais e pela cobrança por parte deles e também por conflitos internos, pois está dividida em voltar a enxergar e perder o seu maior dom.

A história de “Mademoiselle Paradis” se passa na época de 1777 e retrata um tempo difícil em como as mulheres, criados e deficientes eram tratados. Numa sociedade completamente misógina e preconceituosa, o filme traz questões que perpetuam até os dias de hoje, como o papel da mulher na sociedade, o machismo e a violência sexual.

Na trilha sonora, a música clássica é bastante presente, pois condiz com a época, deixando um ar de leveza na trama. A atriz Maria Dragus, que fez o papel principal atuou de forma brilhante e é emocionante ver sua força e sua transformação ao interpretar a história de Maria Theresia Paradis. Seu papel foi tão bem elogiado, que a garantiu o prêmio de melhor atriz no Austrian Film Award e uma indicação ao German Film Critics Association na mesma categoria.

Maria Theresia Paradis além de pianista, era também compositora e fez diversas turnês pela Europa. No ano de 1924, faleceu em Viena mas antes disso trabalhou como pedagoga musical e fundou uma escola de música para cegos. De todas suas canções, óperas e obras instrumentais, poucas foram devidamente preservadas.

Você pode conferir uma de suas obras, clicando aqui.

Por: Ana Vitória Queiroz*

Supervisionada por Luiz Claudio Ferreira

  • Imagens e trailer: Divulgação

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *