Empresas brasileiras são finalistas globais em programa do Pnud

Dois empreendimentos brasileiros ficaram entre os finalistas globais do programa Accelerate 2030, realizado em uma parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e do Impact Hub. As empresas foram a Portal Telemedicina e a SoluBio.

As finalistas brasileiras receberam treinamentos em diferentes capitais para aprimoramento de práticas de mensuração de impacto, elaboração de um plano de escala global e suporte e contato com especialistas, investidores, mentores e parceiros. As três melhores foram indicadas para concorrer à etapa global, que selecionou 10 empresas nos países participantes.

O último encontro da 3ª edição do Accelerate2030, na semana passada, contou com a participação de representantes das empresas selecionadas para o programa. Todos colaboraram em uma rodada de conversa para troca de experiências. Durante o encontro, foram direcionadas conversas para identificar o propósito, o referencial e a necessidade de cada empresa para gerar conexões entre elas. O evento foi realizado nas futuras instalações do Impact Hub, em Brasília e apresentou os projetos, as empresas e patrocinadores do programa.

Roberto Figueiroa, fundador do Portal Telemedicina, afirma que o processo de aceleração foi muito importante para todo a empresa da empresa traçar objetivos. O empresário diz que o programa Accelerate se aprofundou em pontos importantes, do início ao fim do processo. “Nós já passamos por alguns tipos de processos de aceleração e normalmente cada com investimento, escalabilidade global, mas é muito difícil você encontrar esses pontos misturados dentro de uma mesma aceleração.”

A outra empresa, a Solubio, tem o foco de levar tecnologia para reduzir o uso de agroquímicos. “Todo o apoio que recebemos foi imprescindível”. O responsável pelo empreendimento, Alber Guedes, listou pontos relevantes do programa Accelerate2030. Para ele, encontrar o fluxo pessoal e da equipe, posicionar a economia circular substituindo o empreendimento social, ter um mar de oportunidades em cooperação tecnológica/científica, trocar informação e criar pontes para internacionalização. Ele afirma que todos esses pontos foram desenvolvidos na empresa durante o programa de aceleração.  “Nossa passagem por Genebra foi uma experiência ímpar para todos da empresa. Está fazendo a diferença para nós.”

Durante o evento, foram anunciados os cinco finalistas nacionais, entre eles os que foram para Genebra. Portal telemedicina, Solubio Tecnologias Agrícolas, Robô Laura, Redação Online, Meu Copo Eco foram os negócios finalistas do programa e receberam um certificado de excelência por terem chegado na fase global e uma garantia totalmente gratuitas de mais 12 meses de permanência na comunidade de Impact Hub, tornando-se membros honorários do programa. Os representantes de cada empresa finalista comentaram os principais ganhos com o programa de aceleração.

“Foi a partir do momento de aceleração que a gente resolveu focar somente na área de saúde”. A partir do programa, a empresa começou a ter uma escala muito maior e criaram um setor comercial para a parte hospitalar. “Começou a fechar contratos com vários hospitais e com o Ministério de Ciências e Tecnologia”. Até o final do ano, a empresa tem objetivo de fechar o ano com parceria com 40 hospitais, que é seis vezes o número inicial de hospitais parceiros.

O representante da Redação Online diz que a empresa conseguiu ter um crescimento de focar cada vez mais no impacto social de escola pública. “Fechamos nesse período uma parceria com a International Paper Chamex para ter 10 mil alunos de escola pública no Brasil. São 10 mil vidas impactadas que estão escrevendo suas redações e textos”, afirma. Os alunos são predominantemente são estudantes das escolas de São Paulo e Mato Grosso. De acordo com a empresa, esse resultado veio com o incentivo adquirido  durante a aceleração.

Para Martin Joufflineau, representante da empresa “Meu Copo Eco”, a estrutura da empresa foi o que desenvolveu com o programa. “Temos que pensar nas prioridades e escolher uma de cada vez”. Ele afirma que as mentorias foram muito proveitosas.

O projeto

O Impact Hub atualmente tem 16.500 mil participantes em todo o mundo e tem mais de 100 unidades em mais de 50 países. “A nossa missão não é escalar necessariamente o negócio, mas o impacto que ele causa”. André Maciel é o coordenador nacional do programa Accelerate2030 e co-fundador do Impact Hub.

Ele explica que ideia do programa de aceleração surgiu da premissa de que não faltam boas ideias para melhorar o mundo, mas temos que saber para onde a pessoa vai para tirar a ideia do papel e tornar ela uma realidade. “Nosso objetivo é criar um mundo que funcione para todo mundo”, ressalta. Basicamente o que o programa quer fazer é entregar um tripé que ajude na criação de comunidades empreendedoras que vibram e que provocam trocas entre si, com espaços inspiradores e conteúdos significativos.

Maristela Baioni é representante-residente assistente e Coordenadora da área Programática do PNUD e também estava presente no evento. “A gente sempre brinca que o nosso sobrenome é desenvolvimento, com isso já deixa muito claro o nosso mandato”.

Ela explica que garantir e ampliar as oportunidades para que as pessoa possam ter pleno uso das suas capacidades e se desenvolver é o foco do programa.  O PNUD tem um trabalho em diferentes temáticas, buscando a interligação entre um tema e outro para saber como ampliar oportunidades e está designado como o elo de ligação entre os 17 objetivos de desenvolvimento, tendo o papel de ser integrador nessa agenda. “A nossa experiência com o Accelerate é que conseguimos ver que são iniciativas como essa que o PNUD apoia que permite a identificação de atividades de ações de campo privado ou do mundo acadêmico”.

Por Ana Paula Teixeira

 

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção