20 de novembro: 20 histórias de indignação

 20 de novembro é marcado pelas milhares de vozes daqueles que sobreviveram. Os sons ecoam o combate à exploração, à violência, ao preconceito. Tantas vozes que atravessaram o tempo da escravidão legalizada e dos abusos inacreditáveis. Não é apenas um grupo social que passou pela violência histórica e pelo massacre presente do racismo sutil e tão escancarado. Injúrias se formam, pasme, em pleno seio e da alma do país miscigenado, do Brasil prometido e desencontrado. Às mulheres negras, é imposto que cortem o cabelo, que se embranqueçam, que coloque fogo na raiz que existe em cada uma. Em 10 anos, cresceu 54% o número de assassinatos em que elas são as vítimas. São também afastadas das chances de emprego, ridicularizadas nas escolas e agredidas até dentro de casa. Os números mostram um espelho de uma nacionalidade perdida. Para homenagear o dia, a equipe de reportagem buscou 20 histórias de indignação. Poderiam ser 20 mil, 20 milhões, e isso deveria causar maior pressa e urgência das políticas públicas para que essas histórias sejam recontadas todos os dias do ano. Na Marcha das Mulheres Negras em Brasília, chegaram a ser recebidas com tiros, nada mais emblemático. Assim, são recebidas por onde passam, alvejadas de diferentes formas.

É ainda mais injusto com o senso comum de que a população brasileira é miscigenada ou tolerante. Os europeus, os índios e os negros se encontraram através da história do país e geraram um povo em que se misturam traços de todo o mundo. Seria inconcebível haver racismo em um lugar desses, e por muito tempo acreditou-se que era o caso. Até o momento em que se percebeu todas as incoerências. Os negros equivalem a mais da metade da população e não aparecem em posições de privilégio na mídia. Da mesma forma que não possuem espaço entre os empregos com os melhores salários.

Dia da Consciência Negra 2015


Expediente: O material
20 de novembro: 20 histórias de indignação — Dia da Consciência Negra 2015, da Agência de notícias UniCEUB, postado no dia 19 de novembro de 2015 na plataforma Medium, é de autoria dos estudantes de jornalismo Daniella Bazzi e Vinícius Brandão; com artes de Camila Campos ; imagens e colaborações de Alexandra Caldas, Daniella Bazzi, Frederico Beck, João Victor Bachilli, Júlia Campos, Lucas Valença, Luiz Claudio Ferreira e Vinícius Brandão.

Equipe de edição e supervisão: Luiz Claudio Ferreira, Isa Stacciarini e Katrine Boaventura

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *