Crianças de escolas públicas vão aprender a filmar para cinema com celular

Do cinema para a sala de aula. O encanto da Sétima Arte a serviço do ensino e aprendizagem. Essa é a ideia do projeto “Luz, Câmera, Ação!”, que teve início na Escola Técnica do Guará II, nesta segunda (29), que promoverá o curso da área audiovisual que será oferecido inicialmente para estudantes de quatro escolas da rede pública do Guará e de Taguatinga. O projeto  é realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF).

Foto: Juana Miranda

A primeira aula, de apresentação do projeto, foi apenas a “primeira cena” de uma iniciativa desenvolvida para estimular a prática de se comunicar por imagens em movimento. As crianças vão aprender a produzir conteúdo cinematográfico de qualidade com uma câmera de celular. A iniciativa promoverá 12 oficinas em cada centro de ensino, o que totalizará 48 horas/aula. As aulas serão ministradas entre 29 de abril e 7 de junho. No dia 26 de junho, haverá um evento de exibição dos filmes e entrega dos prêmios na Escola Técnica do Guará II.

Ao longo dos encontros, os alunos serão orientados para que realizem a produção de um produto audiovisual. Após a finalização deste período, uma votação online acontecerá para que o público decida qual grupo das quatro escolas foi responsável pela obra mais elaborada. A escola vencedora receberá uma câmera filmadora semiprofissional, além de um desktop como premiação.

Leia também: Distrito Federal tem 3ª maior produção audiovisual do país

Mais do que dinheiro

Filme Ácido Acético (Divulgação)

O evento de abertura teve a participação de organizadores, artistas e estudantes.  Fazem parte da equipe de coordenação do projeto Tiago Esmeraldo (produtor, roteirista e diretor de fotografia), Fáuston Silva (diretor de cinema e escritor), Tiago Belotti (cineasta e crítico de cinema) e Rodrigo Huagha (produtor de curtas e longas). Os organizadores do projeto  disseram aos  estudantes que o ideal é trabalhar com atividades que lhes deem retorno pessoal, e não apenas financeiro.  Os responsáveis pela ação mostraram aos participantes uma sequência de produções feitas com poucos recursos. Dentre as obras exibidas, o curta-metragem “Ácido Etílico”, dirigido por Fáuston da Silva e produzido pela Hoje Filmes.

Experiência para a vida toda

Segundo Valéria Marcondes, idealizadora do projeto Luz, Câmera, Ação!, a iniciativa busca que os jovens consigam obter a melhor experiência possível com a atividade. “A gente espera, realmente, que os estudantes  tenham proveito e se encantem pelo audiovisual, pois a ideia é essa. Se eles conseguirem usufruir, mesmo que só um pouco, será para a vida toda. Eles vão aprender a se expressar melhor. E nós queremos colaborar para que os jovens possam também se definir no rumo de escolher o que gostam e têm prazer em fazer”, destaca.

Escolas participantes:

CEE 1 de Taguatinga Norte;

CEM EIT de Taguatinga Norte.

CEM 1 GG do Guará I;

Escola Técnica do Guará II;

 

Por João Paulo de Brito

Fotos: Divulgação

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: João Paulo de Brito