Copa Verde: Brasiliense vence Vitória (ES) nos pênaltis e se classifica

O Brasiliense entrou no gramado do Estádio Serejão, nesta tarde de quarta (31), com um clima de revanche. Na arquibancada, apenas 331 pagantes (R$ 1880 de renda). Há pouco mais de um mês, no mesmo estádio e contra o mesmo rival, o Jacaré foi eliminado na Série D. Desta vez a história foi diferente. Nos pênaltis (4 a 3), a equipe da capital federal bateu o Vitória, carrasco recente, e se classificou para a próxima fase da Copa Verde, onde vai enfrentar o Goiás, estreante na competição.

Foto: Vinícius Heck

Pressão inicial

A primeira boa chance do jogo foi aos 10 minutos. O Brasiliense chegou pela esquerda com China, que cruzou para o primeiro pau, onde apareceu Romarinho, que, com um golpe acrobático,  finalizou para fora.

Aos 15 minutos, Edmar Sucuri repôs a bola para a corrida de Jobson, mas o goleiro Paulo Henrique estava atento e antecipou-se ao atacante. Cinco minutos depois, em uma arrancada, Jobson sentiu o músculo da coxa e pediu para ser substituído. Quando a torcida percebeu que Michel Platini entraria, surgiram gritos de “burro” para o treinador e “lixo” para o atacante.  No lance seguinte, o zagueiro Léo Breno, do Vitória, também precisou ser substituído após uma pancada na coxa. Em seu lugar, entrou Lucas Barboza.

A primeira chance perigosa do Vitória foi aos 24. Após bola levantada para a área, Carlos Vitor bateu pela direita do gol.

Aos 30 minutos, o árbitro Elmo Resende fez uma parada para a hidratação dos jogadores. O termômetro marcava 28ºC. Com 37, mais um problema de lesão no Brasiliense. O volante Aldo precisou sair após sentir a panturrilha esquerda. Em seu lugar, entrou Yves, ex-Vasco da Gama

Nos acréscimos, Peninha bateu forte de fora da área. O goleiro Paulo Henrique tentou segurar, largou e quase deixou ela entrar no gol. Foi o último lance do primeiro tempo.

“Tem que ter ousadia”

Na saída de campo, o meia David Manteiga disse que o treinador Ricardo Antônio quer que a equipe fique mais com a bola. Ele achou que o Vitória veio fechado e que tem que ter calma que o gol vem. Nas palavras do jogador, “temos que ter mais ousadia e finalizar mais”.

O segundo tempo começou quente e o jogo ficou aberto, literalmente. Todo lance terminava em finalização perigosa. A que mais empolgou a torcida foi aos 8, quando Elcarlos cruzou a bola e encontrou a cabeça de Platini, sozinho. O centroavante cabeceou pelo lado esquerdo do goleiro, arrancando um “uhhh” da torcida e do banco de reservas do Jacaré.

3 minutos depois, Ferrugem, zagueiro do Vitória, foi expulso após receber o segundo amarelo no jogo. O detalhe é que os dois cartões foram por faltas em Platini.
Para tentar corrigir o esquema, Igor Pimentel entrou no lugar do atacante Vitinho.

Ao invés de acalmar, os donos da casa se enervaram. Foram dois cartões amarelos em sequência por duas faltas duras cometidas por David Manteiga e Elcarlos. Enquanto David entrou forte de carrinho, Elcarlos deixou o braço no rosto do adversário.

Aos 27 minutos, com o Brasiliense lançado ao campo de ataque, o Vitória encontrou um contra-ataque e o juiz marcou pênalti para os visitantes. Dedé rabiscou a defesa do Jacaré e foi derrubado por Yves. Nino, que havia acabado de entrar no lugar de Baiano, bateu cruzado com a perna canhota. Sucuri acertou o canto e defendeu o pênalti, assim como no primeiro jogo. A torcida vibrou como se fosse um gol e gritou o nome do goleiro.  Em seguida, Ricardo Antônio colocou o time para frente e tirou David Manteiga para botar Maikon Leite.

 

Reta final

Aos 30 minutos, novamente uma parada técnica. Após isso, todos os jogadores e comissão técnica do Brasiliense ficaram de pé até o final, incentivando quem estava em campo.

Os donos da casa exploraram as laterais do campo para criar as oportunidades. Aos 40, em cruzamento de Murici, Romarinho cabeceou em cima do goleiro.

Nos minutos finais, os dois bancos se desentenderam e houve  discussão.

O jogo terminou sem gols, mesmo resultado do jogo da ida, e foi para os pênaltis. No lado do Vitória houve muita comemoração por estarem com um a menos durante quase todo segundo tempo.

Maikon Leite decide

Platini, Murici, Yves e China fizeram para o Brasiliense.  Paulo Henrique, Thainler e Dedé marcaram para o Vitória. Na vez de Carlos Vitor, Sucuri defendeu.
Coube a Maikon Leite fechar a série e classificar o Jacaré.

Após a cobrança, Maikon contou que avisou ao treinador Ricardo Antonio que cobraria e marcaria a última. Edmar Sucuri deu entrevista emocionado e falou que o grupo é muito merecedor, mas que nada estava ganho ainda.

Por Vinícius Heck

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

 

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção