Brasília Madura: Os desafios de se reinventar aos quase 60 anos

Prestes a entrar na terceira idade no dia 21 de abril de 2020 e com quase três milhões de habitantes, Brasília enfrenta antigos e novos desafios para se manter a cidade funcional que se propôs a ser na época da construção. O crescimento desordenado das regiões administrativas requer novas políticas públicas voltadas à infraestrutura e o mercado de trabalho. Com uma população cada vez mais envelhecida e dependente, Brasília terá que pensar rapidamente no amanhã. 

Foto: Ana Luísa Soares

Segundo o demógrafo e mestre em População, Território e Estatísticas Públicas, Cauan Braga, o envelhecimento populacional é um fenômeno global e sem precedentes no mundo todo. Brasília deve aproveitar o atual bônus demográfico para se organizar e ter capacidade de abrigar a população, oferecendo infraestrutura de qualidade e oportunidades de emprego. Para a demógrafa Ana Maria Nogales, os jovens são a população do nosso futuro e a educação é fundamental para eles. “Para aproveitar esse bônus demográfico, temos que investir em creches, boas escolas e formação da juventude”, explica Nogales. 

Atualmente, a capital do país vive um momento denominado como “bônus demográfico”, segundo a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). O que significa um número maior de pessoas em idade ativa (entre 15 e 64 anos) em relação à população dependente. 

Para o demógrafo, é de extrema necessidade que Brasília aproveite esses dez anos finais da janela de oportunidade demográfica para que se invista, principalmente, na população jovem, já que em breve essa parcela será a base da economia brasiliense.

Além disso, o mercado de trabalho busca se reinventar e seguir junto a proposta de modernização da cidade. As principais apostas para o futuro são a tecnologia, a informatização e o empreendedorismo. Os jovens precisam estar atentos às oportunidades para se adaptarem à evolução do mercado.

Às margens do Plano Piloto, onde se concentram os Três Poderes do país, as regiões administrativas seguem crescendo em número de habitantes e consequentemente em problemas básicos, tanto estruturais, quanto sociais e assim acabam sendo esquecidas em diversos momentos. Os contrastes da Brasília para moradores e visitantes são notórios e foram apresentados na nota coberta a seguir, por meio de vídeos, imagens que se alternam entre os pontos centrais de Brasília e as singularidades do Distrito Federal.

Para conferir a reportagem completa, clique aqui.

Por Ana Luísa Soares, Julianne Belo e Thayssa Vidal 

Sob supervisão de Mônica Prado

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção