Batalhas em Brasília: RAP é poder de mudança na vida de jovens e adultos

Cultura de rua não traduz comportamentos marginais e ligados à criminalidade. A cultura do RAP surge para retirar jovens das ruas e incentivá-los à criação de arte por meio da rima. A origem está no nome em inglês Rhythm and Poetry, que significa ritmo e poesia. Isso é o que essa cultura quer trazer para o âmbito social.

Foto: Adna Evelin

Em Brasília, a cultura de rua está presente desde sua construção. Manifestações de arte na capital federal são verdadeiras misturas de todas as tradições do Brasil, uma vez que a maioria das expressões artísticas tiveram início com a imersão dos candangos da sociedade. O Brasil, por si só, possui uma infinidade de jeitos e modos diferentes de expressão. Hip-Hop, Street Dance, Grafite entre tantas outras formas de manifestação traduzem o sentimento dos jovens em forma de arte pelas ruas.

Batalha do Museu, Batalha do Relógio, Batalha das Gurias e Batalha da Escada são algumas das competições que mais atraem MC’s em Brasília para compartilhamento de cultura, uma das partes mais importantes da formação de uma sociedade. Confira o que diz o coordenador das Batalhas no vídeo. 

A maioria dos encontros de MC’s e Batalhas em todo o DF acontecem à noite ou aos finais de semana, para não prejudicar a rotina de trabalho e estudos dos competidores. O MC Alkaida reforça que estudar e trabalhar faz parte de ser um MC, além de ler muito para fazer as rimas. “É preciso ter repertório para batalhar. O mais importante é não largar os estudos e ler muito para trazer conteúdo para as batalhas”, comenta.

O RAP, no Brasil, surge em 1986 como forma de representatividade e cultura. Inicialmente,  um universo era masculino. Hoje, a participação feminina nas batalhas tem ganhado força a cada dia. De acordo com MC Fugazzi, ser mulher no Brasil não é fácil, ainda mais no mundo do RAP. “O mundo do RAP tem seus gigantes, mas a dica é não desanimar. Gosto de mostrar para todas as mulheres que o Hip-Hop é um mundo possível, basta querer e lutar para a conquista do espaço”, diz.

Quando começar a batalhar

De acordo com os MCs entrevistados, a principal ferramenta é a coragem. A vontade de batalhar surge como um incentivo para enfrentar medos e inseguranças. “RAP é uma forma de expressão, é sentir a arte entrar no corpo como uma válvula de escape de todos os problemas externos da vida”, comenta MC Aline. 

Para conferir a reportagem completa, clique aqui

 

Por Adna Evelin, Gabriela Arruda e Luisa Barmell 

Sob supervisão de Mônica Prado 

 

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção