Projeto Purpurinar lança audiolivro para deficientes auditivos

Querer ajudar os outros foi o que motivou a autora Adriana ribeiro a desenvolver o projeto voluntário Purpurinar. Além do lançamento de audiolivros de poesias para pessoas com deficiência visual, a iniciativa também promove o trabalho voluntário.

Adriana escolheu esse nome porque ela acredita que todos somos poeira, e ajudando o próximo, nós nos iluminamos e nos tornamos purpurina. “Eu também acredito que somos todos vagalumes, e juntos e dispersos, Foto Lançamento Livraria Culturaajudando um ao outro, podemos criar grandes clarões na floresta da condição humana em que todos nós nos encontramos”.

De acordo com a autora, a temática da poesia não é muito procurada pelas pessoas, ainda mais por quem tem dificuldade para ler e ver.  Adriana explica que os audiolivros são desenvolvidos pelos voluntários que entram no site do projeto, baixam um programa de gravação de áudio e enviam o arquivo do áudio narrado do texto por eles. “Esses arquivos uma vez disponibilizado na internet, o deficiente visual tem acesso ao site.”

FOTO ABDV 6Para a autora, o projeto ajuda tanto quem tem dificuldades para ler quanto para os voluntários escritores que não têm a chance de publicar seus livros de poesias e decidem publicá-los de forma narrada. “No momento em que o escritor que não publica, ele tem a oportunidade de ter a sua obra divulgada seja no site do projeto.”
O projeto é um estímulo para que os escritores tirem suas obras do escuro e as compartilhem.

A coletânea de textos narrados por Adriana Ribeiro é a segunda do projeto e tem como título: Vitrais, por onde a vida entra sem dor.  O audiolivro será lançado hoje, segunda-feira, dia vinte e cinco de agosto às sete e meia no restaurante carpe diem.

Por Juliana Braz e Deborah Fortuna 

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção