Com direito à prorrogação, Brasília encerra série ruim e vence a primeira no NBB

Nesta sexta-feira (19), o Brasília Basquete venceu o Mogi por 78 a 73  na prorrogação e encerrou a sequência de cinco derrotas consecutivas no Novo Basquete Brasil (NBB). A partida foi realizada na Arena BRB/Nilson Nelson, na capital federal, e contou com a presença de 1.700 pessoas nas arquibancadas, que apoiaram o time desde o início do jogo. O confronto marcou a estreia de Ricardo Fischer, grande reforço da equipe para a temporada, e do técnico Régis Marrelli, recém contratado. Com o triunfo, o Brasília conseguiu sua primeira vitória e agora está 1-5 na competição. Por sua vez, o Mogi teve sua quarta derrota e está com o recorde de 3-4, mas segue firme no meio da tabela.

Unidos e no embalo da torcida, o Brasília alcançou sua primeira vitória no NBB (Foto: Arthur Ribeiro)

Destaques

Em sua aguardada estreia, Ricardo Fischer fez o que dele se esperava e comandou a equipe nos momentos decisivos, além de colaborar com 13 pontos. Gemerson, com 15 pontos e 9 rebotes, e Ronald, com 14 pontos e 9 rebotes, também se destacaram. Pelo lado do Mogi, Lucas Lacerda anotou 19 pontos e 8 rebotes.

O jogo

Nos primeiros instantes do quarto inicial, o Mogi apresentou uma leve superioridade, até que a torcida do Brasília começou a se envolver mais na partida, especialmente impulsionados pela Uni, a organizada. Assim, o time local cresceu no jogo, principalmente do perímetro, já que 12 dos 17 pontos da equipe no período vieram da linha de 3, seis deles do ala Gemerson. Os dois lados trocaram cestas até o fim dos 10 minutos, com vantagem pequena para os paulistas, 20 a 17.

No segundo quarto, a torcida foi à loucura com um dos momentos mais aguardados da temporada: a estreia de Ricardo Fischer. Com passagem pela seleção brasileira, o armador estava se recuperando de lesão e só hoje conseguiu disputar sua primeira partida com as cores azul e branco. Sua primeira cesta, uma bela bola de três, incendiou a arena e fez a equipe da casa encostar na dianteira e ir para os vestiários empatado, 34 a 34.

A torcida não parou de incentivar o time por nenhum segundo (Foto: Arthur Ribeiro)

Na volta do intervalo, as duas equipes continuaram parelhas e nenhuma abria grande vantagem no placar, com ambas muito firmes defensivamente. Pelo lado do Brasília, Gemerson continuou afiado nas bolas de 3, convertendo as duas que tentou. Pelos visitantes, o armador Lucas e o pivô Wesley contribuíram com 5 pontos cada, o suficiente para o Mogi vencer a parcial por 14 a 13 e ir para os dez minutos finais com um ponto na frente, 48 a 47.

No quarto final, as duas equipes trocaram cestas até os últimos instantes. Comandados por Fischer e no embalo da torcida, o Brasília chegou a tomar a frente do marcador por alguns segundos, até que o Mogi empatou a partida em 60 a 60. Com o público presente nas arquibancadas indo à loucura, um outro fator extra-quadra jogou água fria nas equipes, literalmente. Com a forte chuva que caía na capital, o jogo foi interrompido por goteiras no teto do ginásio e o relógio foi paralisado com 1:52.

Após os minutos de pausa, o Brasília logo anotou uma bola de três com o ala colombiano Siaan Rojas, que recuperou o ânimo dos fãs. Na sequência, os candangos foram para a linha do lance livre oito vezes, mas converteram apenas três. Com 9 segundos para o fim e 3 de vantagem para o time da casa, Lucas, do Mogi, sofreu falta em um chute do perímetro e teve três arremessos livres, os quais converteu todos e empatou a partida em 66 a 66, levando-a para a prorrogação. 

Fischer comandou o Brasília em sua estreia (Foto: Arthur Ribeiro)

No tempo extra, o Brasília continuou com os erros na linha de lance livre, tendo um aproveitamento de apenas 33% (2 de 6). Entretanto, no lado defensivo a equipe conseguiu segurar o Mogi a apenas dois acertos em nove tentativas. No ataque, Ronald capitalizou dois lances livres importantes no último minuto e o ala Arthur, de 39 anos e ídolo da torcida, converteu mais dois para sacramentar a vitória por 78 a 73.

Pós jogo

Após muita pressão da torcida por resultados melhores, o BSB/BKT apostou em um novo técnico, Régis Marrelli, que comandou o Paulistano até os playoffs da última temporada. A mudança no comando pareceu surtir efeito imediato, com o time mais competitivo e organizado, também fruto da estreia de Fischer. A primeira vitória traz um pequeno alívio para a equipe, que ainda almeja uma vaga na pós-temporada e subiu para o 15º lugar. O Mogi, por sua vez, fez jogo duro mesmo sem Fúlvio, seu principal jogador. Apesar do revés, os paulistas se encontram na 11ª posição e continuam entre os 12 primeiros, que garante vaga nos playoffs, e mantêm as esperanças do ano.

A Arena BRB recebeu bom público e deu um show na noite de sexta (Foto: Arthur Ribeiro)

Próximos jogos

As duas equipes voltam à quadra novamente no próximo domingo, dia 21. O Brasília recebe o Pato Basquete na Arena BSB às 11h00, com transmissão no YouTube e no Facebook. Já o Mogi encara o outro time da capital, o Cerrado, às 18h00 no ginásio da ASCEB.

Por Arthur Ribeiro

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção