Cinema – filme de terror Maligno aproxima-se de estética experimental

“Da noite para o dia, a reservada Madison (Annabelle Wallis) começa a ter sonhos macabros de pessoas sendo assassinadas, além de ter que lidar com problemas na vida pessoal. Com a ajuda da irmã, Sydney (Maddie Hasson), ela vai descobrir que seus sonhos na realidade são visões reais dos crimes”. Quem ler essa descrição do filme pode acreditar que está caminhando para apenas mais um longa-metragem de terror. Mas, o filme apresentado subverte qualquer expectativa criada por seu público desde o minuto inicial, para o bem ou para o mal.

Assista ao trailer oficial:

Após quatro anos sem lançar um filme de terror, o diretor malaio James Wan retorna ao gênero em que fez seu nome, sendo o responsável por sucessos como Jogos Mortais, Sobrenatural e Invocação do Mal. Porém, desta vez, sem um elenco de grandes estrelas, Wan quis tentar uma nova abordagem com Maligno, algo mais experimental. As diferentes perspectivas de câmera ao longo da trama são um desses diferenciais, com visões em primeira pessoa sendo utilizadas frequentemente, tanto para ocuparmos o lugar da protagonista quanto do vilão. 

Embora a atuação não seja um dos pontos fortes do filme, a protagonista, Madison, interpretada pela atriz Annabelle Wallis (Peaky Blinders), se destaca, passando por um variado leque de emoções ao decorrer do filme e sempre trazendo o holofote para si nas cenas em que está presente, facilmente ofuscando os demais personagens da trama.

Annabelle Wallis dá vida à protagonista da trama, Madison. (Imagem: Divulgação)

O trabalho aproxima-se da estética e narrativa do gênero italiano Giallo. De forma resumida, esse tipo de conteúdo envolve assassinos em série, mortes sangrentas, e um investigador correndo contra o relógio para achar o culpado dos crimes, antes que o mesmo chegue a ele primeiro. Da mesma forma, em Maligno, embora seja rotulado como um filme de terror, o suspense e a ação são muito mais presentes na trama, com presença do gore, devido aos inúmeros ossos saltando para fora de braços e sangue espalhado pelos cômodos, cortesia do vilão.

Porém, não se engane pelo uso do gênero da ação para descrever o filme. Se você busca um filme com cenas de luta envolventes ou brigas com coreografias no mínimo decentes, talvez Shang Chi: A Lenda dos Dez Anéis seja uma indicação mais próxima. As cenas de ação deste filme trazem algo de cômico, com piruetas desnecessárias, movimentos ridículos e policiais que erram todos os seus tiros, como se estivessem participando de uma homenagem aos Stormtroopers da clássica saga Star Wars.

O longa-metragem lembra os filmes do mesmo gênero dos anos 80, especialmente nas questões das breguices e dos clichês, em todos os aspectos possíveis. Isso causa uma confusão em diversos momentos de suas quase duas horas de duração, no qual a audiência não sabe se aquilo é para ser levado à sério ou se é propositalmente irreverente ao próprio gênero. 

Os sonhos de Madison se revelam como visões de assassinatos reais. (Imagem: Divulgação)

Tendo isso em mente, caso você busque um filme de terror “sério”, talvez esse não seja o filme para você. Porém, se você é um saudosista dos terrores toscos das gerações anteriores, ou se você quer apenas se divertir com alguns amigos, rindo juntos de situações absurdas, esse é o seu filme. James Wan entrega um filme barato, tosco, diferente e divertido, em uma junção única e inesperada dos filmes clichês de Slasher dos anos 80 com sua brilhante mente de um dos maiores nomes do terror do século 21. 

Maligno se apresenta como uma caixa de surpresas em meio aos demais filmes de terror, seja isso para o bem ou para o mal. O que importa é que a promessa do diretor é cumprida ao final de tudo, estamos diante de uma nova visão do gênero do terror.

Ficha técnica:

Título: Maligno

Gênero: Terror, Suspense, Ação

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 111 min

Ano de lançamento: 2021

Dirigido por: James Wan

Elenco: Annabelle Wallis, George Young, Maddie Hasson, Michole Briana White, Jacqueline McKenzie, Ingrid Bisu, Jake Abel, McKenna Grace

Países: EUA 

Distribuidor: Warner Bros.

Por Bernardo Guerra*

* O repórter assistiu o filme convidado pelo Espaço/Z

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção