Exportações do agro crescem em 9 meses, mas nem tudo é boa notícia; entenda

As exportações do setor agropecuário alcançaram US$ 77,9 bilhões de janeiro a setembro, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a partir de informações da balança comercial do Ministério da Economia. O número representa um superávit recorde de US $68,7 bilhões para o acumulado de 9 meses. 

Welber Barral, sócio da BMJ consultoria, explica que, apesar de um sinal positivo aparente, o setor das exportações, no geral, está sofrendo uma queda durante o ano. “O que tivemos foi um crescimento na venda de commodities. As exportações manufaturadas estão caindo. Houve um crescimento na agropecuária e no setor de minerais, mas o maior crescimento foi causado pelo preço.” 

As principais variações nas exportações do agronegócio no agregado dos meses de janeiro a setembro, em comparação com o mesmo período de 2019, se deram para a soja em grãos (+US$ 5,9 bilhões), o açúcar de cana em bruto (+US$ 1,8 bilhão) e o milho (-US$ 1,6 bilhão).

Barral afirma que o superávit registrado, que foi 7,5% maior que o do mesmo período do ano passado, é também devido a uma queda no setor de importações, que totalizaram um acumulado de US $9,2 bilhões. “O Brasil é comprador de insumos e equipamentos, e no período da pandemia, essa demanda caiu. Isso somado à taxa de câmbio gerou quedas na importação.”

China é maior parceiro

Mesmo com as crises diplomáticas com a China, o país é o maior comprador do Brasil nos primeiros nove meses. A China responde por 36,8% do total de exportações (receita de US$ 28,7 bilhões), seguida pela União Europeia com 16,2% das exportações (receita US$ 12,6 bilhões), Estados Unidos (6,3% e US$ 4,9 bilhões em valor); Japão e Coreia do Sul representam 4,2% das exportações do país, com receita de US$ 1,8 bilhão e US$ 1,6 bilhão, respectivamente.

Entre as principais variações de preço, a venda de soja foi uma que teve um dos maiores valores alterados

No setor de pequenos e médios produtos até setembro, observou-se que as exportações de lácteos somaram US $6,3 milhões, em um crescimento de 14,9% se comparado a setembro de 2019. Segundo a CNA, o crescimento se deu devido ao grande volume de leite em pó embarcado para a Argélia em janeiro, que impulsionou o incremento de US$ 2,6 milhões nas vendas externas do produto e representou cerca de 90% de todo o leite em pó exportado pelo Brasil em 2020.

Expectativas do agro

Para as três primeiras semanas de outubro, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Economia na última segunda-feira (19), a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 3,263 bilhões, com uma soma de US$ 9,761 bilhões para as exportações e  US$ 6,499 bilhões para as importações. 

A Corrente de Comércio, que registra o que é vendido e comprado pelo país, já registrou, para o período, uma redução de 11,2% em relação ao ano passado, com um valor de US $16,260 bilhões até a terceira semana de outubro.

Por Marina Torres

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção