Autoras atingem meta de financiamento coletivo para publicar livro infantil

O livro O Umbigo do Rodrigo conta a história de um menino que vivia com o dedo no umbigo, mesmo desde quando estava na barriga da mãe. Sempre estar tão preocupado com o próprio umbigo o atrapalhava de poder brincar com os amigos. Uma vez, ele cutucou tanto o umbigo que ele entra no próprio corpo, e lá faz uma viagem pelo seu interior, conhece os órgãos dele e faz descobertas sobre si mesmo.

A história infantil nasceu da imaginação das autoras Adriana Leite e Liana Farias há 15 anos. As duas se conheceram no UniCEUB, quando Liana cursava jornalismo, e Adriana, publicidade. Elas tiveram a ideia para o enredo do livro por causa de uma amiga com a mesma mania de Rodrigo, mas não realizaram nada concreto com a ideia a princípio, exceto por uma história em quadrinhos produzida por Liana.

Obra nasceu durante conversa na faculdade

Anos depois, Adriana teve uma filha, o que despertou a vontade de transformar a ideia em um livro de verdade. Ela então buscou uma artista para ilustrar as páginas do livro, e encontrou a ilustradora Lila Cruz. As autoras gostaram tanto do resultado que decidiram tentar publicar a história infantil.

Diante da pandemia

A crise do Covid-19 desempenhou um papel para a realização do projeto. “Foi a pandemia que fez com que a gente olhasse para um projeto nosso que estava guardado na gaveta e colocasse a mão na massa”, afirma Liana. Ela também menciona que o contexto atual proporcionou uma situação em que foram capazes de alcançar mais pessoas através de lives.

A ideia é que a campanha funcione como uma pré-venda, mas que inclui incentivos para contribuições generosas, como brindes e recompensas. “Eu sou produtora cultural, então sugeri de a gente fazer uma campanha de financiamento coletivo, e deu super certo, foi um sucesso”, diz Liana, que já tem familiaridade com o crowdfunding, e participou de outras campanhas do tipo antes. Ela também conta que elas bateram a primeira meta logo no primeiro dia, e a segunda ao final da mesma semana. Dez dias antes do fim da campanha, a meta total já foi atingida.

Além disso, as autoras planejam enviar exemplares no dia das crianças para abrigos, bibliotecas e escolas públicas no DF: “na campanha, tem algumas recompensas que você compra um livro e doa outros… Então a gente tem mais ou menos 80 livros pra doar, e vamos fazer as entregas no final de semana das crianças”, diz Liana. Ela tem a intenção de que, com a iniciativa, o projeto chegue a pessoas que normalmente têm poucas oportunidades de acesso a esses livros, havendo a possibilidade que tenham doações até para fora do DF.

Por Gabriel Catelli

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção