Aniversário de 51 anos da chegada do primeiro homem a lua é tema de evento do Instituto Federal do Amazonas

Para comemorar os 51 anos da chegada do homem à lua, o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM) realizou um ciclo de palestras abordando temas ligados à astronomia e à ciência espacial. O evento foi transmitido pelo canal YouTube da instituição e contou com a participação especial do físico Marcelo Gleiser e do astronauta e ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes. 

O ministro Marcos Pontes, em sua palestra, se dirigiu aos estudantes enfatizando a importância de ganhar competências (conhecimento, habilidades e atitude) para construir uma carreira profissional. Comentou que são necessários três eixos para se tornar um astronauta: técnico, saúde e emocional. Marcos Pontes contou um pouco de sua trajetória de vida, o incentivo recebido de seus pais para estudar, as dificuldades econômicas pelas quais passou,  e como as superou até se tornar o primeiro astronauta brasileiro. “Para chegar a algum lugar é preciso ter um sonho, uma decisão e competências”, disse o ministro aos estudantes e professores. A palestra do ministro pode ver vista aqui na íntegra.

 

O físico Marcelo Gleiser (foto) dissertou sobre os impactos da chegada do homem a lua e o impulso tecnológico e social que isto gerou na humanidade. O evento marcou a vida de Marcelo. Ele afirma que a ciência não veio para separar, mas sim para incluir e concectar universalmente diversos povos e culturas. “Nesse momento de pandemia, o vírus mostrou como somos frágeis ainda como espécie apesar de podermos ir para a lua”, alertou Marcelo, enfatizando a necessidade de aproveitar o momento para pensar sobre a importância da vida, a codependência entre as espécies, a inclusividade e o respeito ao conhecimento. 

 

O evento contou com a participação também do astronauta norte-americano Christopher Cassidy, o 59° homem a ir ao espaço. Ele participou do evento por meio de uma gravação diretamente da estação espacial internacional, onde está há mais de 182 dias. Cassidy contou um pouco de sua experiência fora da terra, tal como a importância de preservá-la, pois a quantidade de recursos que esta tem é limitada.


O Ciclo da Física durou dois dias e contou com mais de 500 mil visualizações. O segundo dia teve como tema “A mulher como astronauta”. Nesse dia, o evento contou com a participação especial da astrônoma Duilia de Mello, pesquisadora da NASA, que falou da participação das mulheres na Ciência e no espaço. E a jovem pernambucana, Katarine Klitzke (foto), medalhista nacional e internacional em Matemática e Física, que hoje está na NASA. “Siga sempre o que dá brilho nos olhos e siga os sonhos”, diz Katarine, lembrando aos participantes que é preciso estudar e ter persistência.

Por Lara Vitória e Marco Antônio Feitosa

Supervisão de Mônica Prado

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção