Equipes de basquete do DF não reduziram salário, mas temem adiamento de temporada

Um sonho interrompido e outro sequer iniciado. Situações distintas, porém ambas presentes no cenário do basquete do DF. Devido à pandemia do coronavírus, os campeonatos nacionais de basquete tiverem de ser parados, gerando impactos financeiros e esportivos para os representantes da capital no esporte, o Cerrado Basquete no CBB, e o Universo Brasília no NBB. 

 

Com o início da temporada previsto para o dia 15 de março a equipe do Cerrado Basquete sequer conseguiu fazer sua estreia no CBB (Campeonato Brasileiro de Basquete), que substitui a antiga Liga Ouro como segunda divisão do basquete nacional, pois no dia 11 do mesmo mês foi decretado pelo GDF a suspensão dos eventos esportivos devido a nova classificação do coronavírus como pandemia, e a partir do fato ocorrido os jogos foram adiados sem possuir uma data para retorno.

Entretanto, para Dimitri Rodrigues, presidente do clube, o foco agora não é o início da temporada. “Nesse momento nossas preocupações não estão mais voltadas para a competição, e sim para o estado de saúde de toda a população brasileira e especialmente aos nossos atletas. A nossa preocupação maior neste momento não é com a competição, e sim com a saúde das pessoas”.

O ala panamenho Pablo Rivas e o técnico Bruno Lopes, destaques do Cerrado Basquete (Foto: Gabriella Tomaz)

Como a previsão inicial de término do campeonato era para meados de julho, os contratos feitos pelo clube com jogadores e comissão técnica tem duração apenas até o dia 15 daquele mês, mas devido às atuais circunstâncias é possível que o torneio termine apenas em setembro, e os vínculos necessitem ser renovados antes disso. Porém, o clube segue mantendo os pagamentos em dia no momento de quarentena, porém será preciso acordar com os apoiadores e patrocinadores para verificar se será possível estender esse vínculo por mais dois meses e meio para permitir seguimento no campeonato.

Com as atividades suspensas, o Cerrado aposta na integração entre as categorias de base, time feminino e o profissional para manter a forma dos atletas, unindo todos os núcleos do clube e visando se unir, mesmo que virtualmente, nesse momento de isolamento. “A gente tá compartilhando o que eles postam, e repostamos lá no nosso Instagram até para motivá-los também. Está sendo uma coisa boa nesse momento difícil, tivemos essa idéia e estamos tendo um retorno fantástico neste grupo”, finalizou o presidente. 

Já o Universo Brasília vive uma situação diferente. O NBB decidiu por encerrar mais cedo a temporada, e classificou aos playoffs as 12 primeiras equipes, com base na porcentagem de aproveitamento nos jogos realizados. O Universo ficou em 13° na classificação geral, com apenas 30,7% de sucesso nos confrontos e três vitórias a menos do que o Bauru, que ficou com a 12ª colocação com 42,3%. Assim, a equipe acabou eliminada da competição e agora apenas espera pelo início da próxima temporada.

Foto: Ricardo Bufolin / Panamerica Press / ECP

Com ainda 4 jogos a serem disputados e apenas três vitórias atrás do Bauru, com uma complexa combinação de resultados, a equipe ainda poderia se classificar. Seria uma conquista de vaga heroica, pois além do alinhamento dos resultados do adversário, iria enfrentar equipes qualificadas como Corinthians e Minas, colocadas entre as melhores equipes do torneio. Porém, com o encerramento da temporada regular, a equipe teve que se contentar com o resultado do desempenho da maior parte da temporada e se despediu da edição de 2019-20 do NBB.

Por Arthur Ribeiro e Gabriella Tomaz 

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção