Novo sistema de tecnologia 5G eleva expectativas pela velocidade e conectividade; entenda

Em tempos de isolamento e em que grande parte da operações financeiras ocorre via remota, a humanidade se vê em um desafio de garantir segurança de conexões. A tecnologia de 5G é o sistema mais inovador e atual de redes de telecomunicações. A tecnologia proporciona internet para meios móveis com uma grande diferença entre seus antecessores, a principal delas é a velocidade de 1Gb/s por segundo. Isso significa que a recepção é de 20 a 100 vezes mais rápida que o  4G. Atualmente o acesso dessa tecnologia está disponível apenas nos Estados Unidos e na Coreia.

Hilmar Becker, gerente nacional da F5 Brasil, explica que a tecnologia 5G pode trazer um crescimento quanto a ameaças virtuais devido ao sistema IP. “O fato de todos os recursos do 5G serem baseados no Internet Protocol (IP) significa padronização e performance, mas, também, vulnerabilidade. O IP é o protocolo de comunicação mais conhecido do mundo, criminosos digitais são experts nesse protocolo e ganham dinheiro explorando esse universo”, Becker complementa.

Além disso, a 3GPP, entidade que é responsável pela padronização de redes móveis, estabeleceu o padrão para o 5G de alta vazão, isso quer dizer que essa tecnologia tem uma grande infraestrutura que leva o digital para fora de grandes centros.  Para isso acontecer de maneira efetiva, a tecnologia utiliza rádio e computação de borda, fazendo com que a latência diminua entre o ponto de processamento até o consumo do dado. Isso possibilita a aplicação crítica em carros autônomos, a indústria 4.0 e cidades inteligentes. O maior impacto dessa implementação no Brasil seria a evolução na economia digital brasileira.

As consequências da aplicação da rede 5G são positivas. A implementação da tecnologia irá possibilitar serviços de realidade aumentada em tempo real, realidade virtual sem causar tonturas, os jogos on-line terão alto nível de interação e os serviços de streaming serão de qualidade 4k.   A expectativa da  implementação dessa tecnologia vai se dar de forma progressiva, assim como foi do 3G para o 4G, isso vale tanto para a cobertura do serviço quanto para a aceitação nos dispositivos móveis como celular, tablets e até notebooks.

Segurança e vulnerabilidade 

Com tantos recursos, ferramentas e novas redes sociais disponíveis online, é cada vez mais comum pensar em proteger dados e informações. O crescimento do uso da mídia on-line para o desempenho de inúmeras tarefas trouxe riscos que envolvem esses ambientes.

Entre as principais ameaças que ocorrerão na rede 5G, destacamos ataques DDoS baseados em dispositivos IoT (trata-se da interconexão digital de objetos cotidianos com a internet), conhecidos por sua vulnerabilidade. O ataque DoS (Denial Of Service, em inglês), é baseado na tentativa de causar uma sobrecarga em um servidor ou computador comum, para que os recursos do sistema não estejam disponíveis para seus usuários. Nos próximos anos, os tipos e o número de dispositivos estarão em constante expansão acompanhado com o 5G, a IoT atingir todas as verticais, todos os negócios e todas as regiões do mundo. 

Uma solução para esse cenário é criar uma camada de segurança que visa proteger a infraestrutura do operador. Nenhum plano de dados, por exemplo, firewalls com alta capacidade para conexões simultâneas e processamento de tráfego, promove a regularização e otimização de diferentes protocolos e serviços que trafegam na rede 5G. É importante destacar que, embora o foco principal seja a proteção da infraestrutura da operadora, o uso dessas tecnologias também é beneficiado pelo assinante da operadora de telecomunicações. Uma rede sem tráfego extra causada por verificações ilegais e ataques digitais melhora a experiência do assinante e, como efeito positivo, preserva a bateria de seus dispositivos móveis.

Expectativas para o Brasil

O sistema operacional do 5G oferece maior estabilidade para conversas entre máquinas diferentes, fornece conexões mais rápidas e gerenciamento inteligente de rede. Com essa tecnologia, o 5G deve ser 50 vezes mais rápido que as redes 4G, oferecendo velocidades de até 5 GB por segundo em condições ideais.

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) está determinando certos requisitos para a operação do 5G no Brasil, entre os quais: rede 4G ou velocidade superior a locais que não se beneficiam da nova tecnologia e cobertura de 95% das áreas urbanas com menos de 30 mil habitantes, que anteriormente não era obrigatório.

Nas condições de pandemia que o país sofre assim como demais, a previsão para que o sistema 5G chegue em território brasileiro é incerto. Há algumas semanas, negociações estavam sendo feitas para o primeiro leilão das faixas de frequência, com expectativa para acontecer em novembro, o funcionamento das redes só aconteceria oito meses após a definição dos lotes, onde as antenas serão instaladas. Ainda não são precisas as datas para o leilão acontecer e se irá ser necessário o adiamento do evento, pelas devidas condições da pandemia. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) alegou que o calendário permanece o mesmo.

Por Giovanna Hilário e Júlia Webster

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção