Brasileiros conquistam 10 medalhas no 7º Sul-Americano de taekwondo

A equipe brasileira de taekwondo voltou com a bagagem com 10 medalhas do Campeonato Sul-Americano do esporte realizado na cidade de Buenos Aires, na Argentina. Os pódios incluíram 5 ouros, 2 pratas e 3 bronzes, em diferentes categorias e faixas etárias (infantil, adulto e veterano). Os atletas competiram nas modalidades luta e Tul. Dos vitoriosos, oito são do Distrito Federal.

A família competiu na modalidade de luta ITF (International Taekwondo Federation), ou seja, a versão “autêntica” do esporte e considerada marcial, segundo o treinador Márcio Carvalho. Existe também a modalidade WTF (World Taekwondo Federation), mas esta representa o esporte nas Olimpíadas, e não competições continentais. Já o Tul, consiste em sequências de movimentos pré-fixados, onde o praticante simula um combate com adversários imaginários e diversos ângulos e posições.

Para o professor Márcio Carvalho, chefe de delegação, que ganhou o bronze na categoria tul veterano, foi uma experiência muito especial por causa da oportunidade de levar uma equipe que contemplou o infantil feminino e masculino, adulto feminino e masculino e veteranos. “Levamos também alguns (atletas) faixa coloridas e faixas pretas, porque o campeonato sul americano permite a participação dos dois tipos de faixa. Já o Mundial, somente tem faixa preta. Ainda sim tivemos sucesso em diversas categorias, e por isso foi uma experiência muito especial”, afirma.

O chefe da delegação explica que, agora, a expectativa é de participar do Campeonato Pan-Americano, que será no primeiro semestre do ano que vem na Flórida, na cidade de Ocala. “O evento é mais significativo em termos de participantes porque não se restringe à América do Sul e contará com a participação de todos os países da América. Então é um evento de maior amplitude e nós temos muito interesse em avançar no Pan-americano porque em setembro do ano que vem, haverá o Campeonato Mundial em Liverpool, na Inglaterra”.  

 

Família vitoriosa

O amor pela arte marcial está no sangue. Duas filhas do professor Márcio Carvalho também chegaram aos pódios. A mais velha, Priscila Quintiere (medalha de bronze no tul adulto) e a Catharina, de nove anos de idade, chegou à prata no tul infantil.” É uma sensação de realização muito grande. Não só a realização de ver os familiares logrando sucesso, mas também pela confiança e o suporte que eles dão ao confiar em você para ir para ir para um evento dessa magnitude. Nós temos um centro de treinamento aqui em casa, então temos a possibilidade de trabalhar com mais facilidade”, disse o pai

Para Priscila, competir com a família é “um misto de orgulho e alegria com preocupação”. A atleta diz que não pensava só nela, mas em todos, como seria o desempenho de cada um e se nenhum voltaria lesionado. “Felizmente voltamos inteiros, sem lesões e com medalhas”.

Priscila foi bronze

 

Questionada sobre a diferença entre homens e mulheres no taekwondo, Priscila relatou as diferenças que percebeu na cultura argentina em relação à brasileira. “No Brasil ainda vejo bastante diferença. Muito mais homens procuram a arte marcial do que mulheres”. A atleta, apontou que a diferença possivelmente se dá  “por acharem que não é coisa para mulher fazer ou medo de machucar”. Na Argentina é muito mais comum ter mulheres no taekwondo e no campeonato elas mostraram que não deixam nada a desejar”.

A pequena Catharina, de 9 anos, prata no tul infantil, comemorou muito a vitória. “Eu achei muito legal e eu nunca tinha viajado para competir fora do país. Eu achei muito legal subir ao pódio e ganhar segundo lugar. Achei muito divertido”. Na volta a Brasília, nesta semana, foi recebida com festa pela escola. Ela não vai esquecer do primeiro pódio internacional.

 

Brasileiros no pódio

Catharina – Prata (tul infantil)

Federico – Ouro (tul infantil) / Ouro (luta infantil)

Víctor – Ouro (luta adulto)

Priscila – Bronze (tul adulto)

Félix – Ouro (luta veterano) / Ouro (tul veterano)

Warren – Bronze (luta veterano)

Vincent – Prata (luta veterano)

Márcio – Bronze (tul veterano)

 

Por Ricardo Ribeiro e Vinícius Heck

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *