Tempo de férias: diversão de graça na mostra brasiliense de Indie Games

No dia 3 de julho, o brasiliense vai contar com muita diversão na 14ª edição da Mostra Brasiliense de Indie Games – Bring. O evento vai reunir mais de 20 expositores autorais de games que o público vai testar em primeira mão. Som e food trucks vão acompanhar a festa no Lago Norte que vai ter entrada gratuita.

A ideia da mostra é aliar cultura e tecnologia, além de aproximar os desenvolvedores de jogos independentes do público games local. Os jogadores vão contar com aventuras medievais, jogos com heróis japoneses e jogos de convivência dentre outros.

O organizador da mostra, Saulo Camarotti , fundou o coworking Galpãp Indie Warehouse em 2017 com a missão de acolher a economia criativa e os produtores de jogos. Idealizador também do  Behold Studios, produtora com mais de 25 jogos independentes produzidos e cerca de 50 prêmios nacionais e internacionais, o Behold Studios concorre com o game Galaxy Of Pen & Paper no Big Festival em São Paulo. Esse jogo indie propõe uma aventura espacial que remete aos anos 90. Saulo Camarotti conversou com a Agência de Notícias UniCEUB sobre os indie games.

Entrevista com o organizador Saulo Camarotti

A Mostra Brasiliense de Indie Games está na 14 ª edição. Como surgiu a ideia desse evento?
A ideia surgiu para que os desenvolvedores de jogos brasilienses pudessem mostrar suas produções na cidade. É uma forma de aproximar o público dos criadores e trocar experiências. Desde 2013 realizamos o evento itinerante.
Qual faixa etária procura os jogos indie?
Geralmente são jovens adultos de 20 a 35 anos, que são jogadores de computador e videogames.
Quais as principais diferenças entre os jogos eletrônicos independentes – os indie games – e os jogos da indústria convencional de videogames?
Os jogos independentes tem liberdade criativa para inovar, contar histórias autênticas, prover experiências únicas. O mercado indie cresce vertiginosamente no mundo todo e é o principal responsável pela industria de games crescer todos os anos. Os indies contam histórias mais profundas, e os jogos não são sobre mais dar tiro e matar e morrer. É um estigma que os indies já superaram.
É necessário possuir uma tecnologia de ponta para o desenvolvedor de games criar um jogo indie?
Não. Hoje está muito acessível. Qualquer um com um simples computador e acesso a internet já pode criar jogos. Por isso a popularização dos indies.
Você acha que a tendência é aumentar o segmento dos jogos indie? Por quê?
Com certeza! Todos as grandes plataformas abriram o mercado para os indies, por perceberem o potencial altíssimo de qualidade e lucratividade deles. Nintendo, Sony e Microsoft são exemplos de empresas grandes que investem nos indies nos dias de hoje.

 

 

 

 

Histórico
Os indie games também chamados de jogos indie, são jogos eletrônicos independentes criados por uma pessoa ou pequenas equipes com ou sem apoio financeiro de publicadoras de jogos eletrônicos. Na maior parte das vezes focam em inovação e na distribuição digital. Nos últimos anos eles têm aumentado devido aos novos métodos de distribuição on-line e ferramentas de desenvolvimento.
Não há consenso entre os profissionais da área, mas costuma-se atribuir o título indie game ou jogo indie aos jogos produzidos por estúdios que começaram de maneira independente, sem financiamento externo, mesmo que essa empresa já tenha crescido bastante e se consolidado no mercado.
Os jogos independentes começaram nos PC e tiveram aumento através da distribuição de shareware (programa de computador disponibilizado gratuitamente durante um tempo para que o usuário possa testar antes da aquisição) no início da década de 1990. O avanço da tecnologia, as exigências e as expectativas dos usuários alavancaram o desenvolvimento dos games na segunda metade de 2010.
A distribuição digital permitiu tanto aos desenvolvedores publicar seus jogos quanto aos jogadores fazerem o download desses jogos em plataformas.

Serviço: Mostra Brasiliense de Indie Games – Bring
Data: 03/07/2018
Local: Indie Warehouse (CA 07 – Lago Norte)
Horário: 19h às 23h
Entrada franca
Informações: 3034-3625
Classificação livre

Por Claudia Sigilião

Supervisão de Luiz Claudio Ferreira

Post Author: Agencia de Noticias Uniceub

Professores e estudantes do curso de jornalismo construindo um projeto de extensão para promover práticas e repensar rotinas de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *